micose-04055
Existe a opção de tratamento da infecção aplicando esmalte terapêutico na unha afetada

Muitas dúvidas podem surgir no caso das micoses de unha, ou a chamada onicomicose. Um dos tratamentos mais utilizados, os cremes e sprays podem não ser tão eficazes para resolver o problema. Além disso, este tipo de micose passa de uma unha para outra e lixas de unha e alicates podem transmitir fungos.

Algumas informações a respeito da infecção são mitos que acabam gerando muitas dúvidas. Por isso é fundamental orientar bem o consumidor. A dermatologista consultora da GERMED pharma, Dra. Oriete Leite, explica quais são as principais características, prevenção e tratamento da micose de unha, que tem mais de dois milhões de casos por ano no Brasil.

Segundo a especialista, a onicomicose é popularmente conhecida como micose e atinge especialmente as unhas dos pés e menos frequentemente as das mãos. A infecção é causada por fungos, normalmente por meio de fontes como os calçados, compartilhamento de alicates e tesouras contaminados.

A Dra. Oriete faz recomendações de medidas básicas de higiene que auxiliam na prevenção da infecção como, secar bem as áreas entre os dedos dos pés, utilizar somente material exclusivo de uso pessoal na manicure, evitar usar calçados fechados por muito tempo, entre outras.

Tratamento: de acordo com a Dra. Oriete, o tratamento da onicomicose pode ser feito com medicamentos tópicos – indicados para casos leves ou moderados e em situações que não se possa usar medicações sistêmicas - ou orais, sempre orientado por um dermatologista.

“Uma opção é o tratamento com esmalte terapêutico, que deve ser aplicado ao redor, sob e sobre a unha afetada, no período de 6 a 12 meses. Ele é eficaz, pois penetra nas camadas da unha, agindo diretamente na infecção. Porém, mesmo nesse caso é importante seguir a recomendação médica do especialista”, declara.

 Fonte: GERMED pharma