sorriso-bonito

Dentes brancos são vistos como sinal de higiene e status social, por isso o brasileiro tem grande interesse no uso de produtos clareadores. Farmácias e drogarias precisam explorar a categoria

 O Brasil é o segundo maior mercado de higiene oral do mundo. O interesse do brasileiro em cuidar da saúde dos dentes perde apenas para os americanos. Com isso, todos os anos, são movimentados cerca de R$ 3 bilhões pela categoria de oral care, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec).

Para as farmácias, a categoria representa em torno de 1,5% do total de vendas, mas há potencial para que a representatividade seja ainda maior. Isso porque as vendas dessa cesta ainda estão muito concentradas em dois produtos. O creme dental é o item de maior adesão – 7,4% do mercado global deste produto está concentrado no Brasil –, seguido da escova.

Há diversos outros itens que compõem a cesta de higiene oral que ainda têm baixa penetração, como é o caso dos produtos de clareamento dental. Menos de 5% da população brasileira faz uso desses itens, mas a procura é crescente, segundo o coordenador de marketing de higiene bucal da Condor, Gerson Grohskopf. “Os consumidores são impactados diariamente por estímulos que os fazem procurar esse benefício nos produtos de oral care.”

O crescente interesse por produtos de ação clareadora também é percebido pelo consultor científico da Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas (ABCD) e professor da Universidade São Francisco e Universidade de São Paulo (USP), Miguel Haddad Filho: “É cada vez mais raro o paciente que não questiona a respeito do clareamento, independentemente da idade ou gênero, justificado por satisfazer uma necessidade estética e, consequentemente, social”.

Tipos de clareadores

O interesse do consumidor existe, mas para que essa curiosidade se transforme em venda, é importante que o atendente da farmácia conheça os diferentes métodos clareadores disponíveis no mercado.

Também é preciso saber orientar o cliente que os produtos vendidos na farmácia possuem ação e resultado diferentes do tratamento realizado em um consultório dentário, a fim de não haver surpresas desagradáveis.

Por que cresce a busca por clareadores dentais?

 O brasileiro passa por um período de crescente interesse por bem-estar, que inclui o cuidado com os dentes. Além disso, por se tratar de um produto de alto valor agregado, realizar tratamentos clareadores é visto como sinal de status. Tanto que itens que vão além do básico, como fio dental, enxaguatório bucal e os próprios clareadores, têm mais adesão entre as classes A e B, público fortemente ligado a lançamento de novos produtos e desenvolvimento de tecnologias.

“Hoje, o uso de certos produtos ainda é bem regional. Por questões financeiras, existem pessoas que têm mais acesso. Mas nos próximos anos, todo o sortimento de higiene oral deve apresentar crescimento”, avalia a representante da GSK, Dra. Erika Bonito.

 

“Os produtos utilizados pelo profissional apresentam concentrações mais altas e têm resultados mais rápidos. Por sua vez, os produtos adquiridos em dentais, mediante receita, apresentam concentrações menores e necessitam de um tempo maior de aplicação”, explica Haddad Filho.

Conheça os diferentes tipos de clareadores dentais: 

Pastas clareadoras: eficazes na remoção de manchas superficiais quando utilizadas diariamente. Também ajudam a prolongar o efeito clareador obtido por meio de outros métodos. 

Géis clareadores: removem manchas superficiais e entre os dentes. Mais eficazes que as pastas, pois contêm fórmulas especiais à base de peróxido. É importante seguir à risca as instruções dos fabricantes para evitar desconforto.

Fitas de clareamento: são aplicadas diretamente sobre os dentes. Geralmente, precisam ser aplicadas por 30 minutos, duas vezes ao dia.

Moldeiras de clareamento: esse tipo de procedimento, normalmente, é indicado por um profissional dentista. Consiste em aplicar material branqueador em uma placa dentária colocada sobre os dentes. Existem dois tipos de moldeiras: 

- Aplicadores moldáveis: o paciente deve ferver na água e, então, morder para que a moldeira adquiria a forma da arcada dentária. Em seguida, o material clareador deve ser aplicado na moldeira. O tempo de uso varia conforme instruções do fabricante.

- Aplicadores de moldeiras não moldáveis: é uma opção mais barata. Não é possível fervê-las para que tomem o formato exato da arcada dentária. O paciente precisa escolher o tamanho correto dentro das opções disponíveis. 

Escova dental com filamentos branqueadores: as cerdas possuem carbonato de cálcio na composição, o que aumenta o poder de remoção da placa bacteriana, bem como de manchas superficiais nos dentes.

Como os produtos clareadores agem nos dentes?

O processo de clareamento dental funciona a partir da ação de um radical livre, como peróxido de carbamida ou de hidrogênio. 

Essas substâncias são altamente reativas, por isso conseguem interagir e decompor (oxidar) outras partículas.

No caso dos dentes, os radicais livres são usados para decompor os compostos pigmentados que ficaram entranhados no esmalte do dente. 

Fonte: ABC da Saúde

 

Exposição adequada

Além de contar com um sortimento variado de clareadores, investir em uma exposição adequada também é fundamental para impulsionar as vendas dessa categoria.

De acordo com Grohskopf, os itens merecem estar alocados em um ponto extra, exclusivo para produtos com ação clareadora, organizado pelas diferentes modalidades de tratamento. Dentro de cada subcategoria, os produtos devem ser separados por marca, partindo daquelas de maior valor agregado, a fim de estimular a compra dos itens de maior preço. 

 

Foto: Shutterstock