Os cuidados capilares dentro de casa trazem à tona a importância dos produtos que hidratam e tratam os fios sem a ajuda de um profissional

A comodidade e o menor alcance financeiro para gastos com beleza criaram uma combinação perfeita para os cuidados dentro de casa.

De janeiro a setembro de 2016, em comparação com o mesmo período um ano antes, 2,9 milhões de lares afirmam ter parado de ir ao salão de beleza durante esta fase de instabilidade do País, segundo uma pesquisa feita pela Nielsen.

Nessa onda de cuidados caseiros, cresce a procura por produtos capilares que não apenas higienizam os fios, mas cuidam e deixam os cabelos saudáveis.

Ainda que o xampu seja destaque na categoria de cuidados, com 31,4% do mercado; tratamentos aparecem em segundo lugar (24,7%); seguidos de colorir/descolorir (20,9%); condicionadores (18,4%); permanente e alisante (2,7%); e fixadores (2%), conforme dados do estudo Caderno de Tendências 2014 – 2015, realizado pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec).

A categoria de Hair Care revela um grande envolvimento com o shopper, principalmente as mulheres, que gastam, em média, 30 minutos por dia com o seu cabelo (muito mais do que em outras categorias de higiene pessoal).

Elas utilizam aproximadamente sete diferentes produtos por mês. Entre os itens mais comprados, de acordo com Monange, estão xampu, condicionador, creme para pentear e máscara para hidratação.

O tíquete médio de uma mulher em uma compra de produtos para cabelo é de R$ 16,00 a R$ 26,40. Além dos produtos já citados, são presenças constantes na cesta de compras, as ampolas de hidratação e óleo capilar.

Normalmente, a compra mensal é motivada pela indicação para o estado do cabelo e a indicação do cabeleireiro.

“O brasileiro gasta, mensalmente, uma margem de R$ 174,00 com produtos para cuidados capilares”, complementa o product manager de Head & Shoulders Brasil, Vitor Fontana Fernandes.

A indústria da beleza tem investido constantemente em tecnologia com o objetivo de oferecer às consumidoras novas nuances e fórmulas que cuidem mais do cabelo, para deixá-lo sempre macio, brilhante, saudável e com a cor duradoura.

Cada consumidora busca um fim diferente nos seus cuidados capilares. “Os produtos mais comprados têm como principais funções hidratação, restauração, reconstrução, umectação, brilho, nutrição, crescimento e fortalecimento”, explica o vice-presidente da Embelleze, Jomar Beltrame.

Segundo Monange, produtos que auxiliam na hidratação são os preferidos para a composição logo após xampu e condicionador. Hidratação é o benefício mais esperado em xampu e condicionador, enquanto em creme de pentear buscam-se produtos que combatam o frizz, o embaraço dos fios e que deem brilho. Por fim, a expectativa das máscaras de tratamento e ampolas são a reparação e reconstrução. De acordo com a product manager Hair Care de Pantene, Marcela Bonsenso, há um crescimento na demanda de produtos de tratamento nos últimos meses, principalmente com os cuidados com os fios fora do salão. “Muitas vezes, os cabelos precisam mais do que um condicionador regular para hidratar e reparar os danos extremos causados por químicas, calor excessivo, poluição e outros agentes que prejudicam a saúde dos fios”, diz.

Dentro desse universo, cresce, também, a preocupação da indústria em desenvolver produtos específicos para cada tipo de cabelo. O uso dos fios cacheados, por exemplo, está mais em voga do que nunca. Um estudo da Nielsen revelou que 17% das mulheres brasileiras preferem os cachos, apesar de somente 13% usarem os cabelos desta maneira. Além disso, 38% preferem os cabelos naturais. “Para a brasileira, ter cabelos bonitos e fortes é importante para que ela se sinta ainda mais confiante e invencível.

É natural que a indústria tenha cada vez mais produtos específicos para os variados tipos de cabelo. Em um cenário tão competitivo, destaca-se quem consegue entender o desejo das consumidoras e traduzir todas essas necessidades em lançamentos criados para trazer ainda mais beleza, saúde e brilho aos mais diferentes formatos de fio”, comenta Marcela. Não ficam de fora as tinturas e colorações que, por seguirem a moda, estão sempre em alta. Uma pesquisa realizada pela Nielsen revela que as tinturas alcançam 51,4% dos lares brasileiros.

Quase a metade (44,6%) dos entrevistados disse pintar os fios em casa e 17,8% vão ao salão, mas usam seu próprio produto. Segundo BIOLOCOR e BIOLOCOR Homem, a maioria das mulheres entra na categoria de coloração visando a uma grande transformação ou cobertura total de fios brancos. Por esse motivo, a maior procura está entre as marcas do segmento de coloração permanente, que entregam tratamento.

 

No ponto de venda

 

Como os xampus são os mais buscados pelo consumidor, devem ser posicionados no fim da gôndola, após as colorações e os itens de pós-xampu. Segundo a Mind Shopper, isso faz com que o público seja atraído, passando por todas as outras categorias.

Os blocos de marca devem ser posicionados a partir das de maior para menor valor agregado, dando destaque aos itens de uso mais específicos. Já os produtos pós-xampu são localizados entre as tinturas e os xampus, devido o seu maior valor agregado. É aconselhável posicionar os itens e marcas a partir daqueles de maior valor agregado (e menor giro) para os de menor valor agregado (e maior giro). Por fim, as tinturas e colorações devem ser separadas conforme suas subcategorias (como permanentes, tonalizantes, em pó, rejuvenescedores, entre outras). Em seguida, devem-se destacar as marcas em cada um desses blocos, finalizando com a disponibilidade de cores dentro de cada marca.