2017

 

Foi-se o tempo em que a família compartilhava os mesmos produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (HPC). Hoje em dia, um verdadeiro arsenal de itens ocupa as bancadas dos banheiros das famílias brasileiras. Existe produto específico para o homem, para a mulher e para bebês, crianças e adolescentes, também. Aliás, esse público é tão exigente e ávido por novidades quanto os demais. Claro que, no caso dos bebês, ainda é a mãe quem faz as escolhas, mas a partir do momento em que eles crescem, já começam a tomar pequenas decisões. Seja pela embalagem que estampa seu personagem favorito dos filmes e desenhos, seja pelo perfume, pela moda ou pela indicação de uso. A verdade é que o público infanto-juvenil já tem seu espaço no mercado de HPC. Para se ter uma ideia da importância e do tamanho desse mercado, basta saber que, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), o mercado de HPC cresceu 4,8% em 2016, sendo que as vendas de cosméticos e similares foi de R$ 102,2 bilhões ou US$ 29,2 bilhões em 2016, e a estimativa é de que chegue a R$ 115 bilhões em 2020. A categoria infantil representa em torno de 4,7% desse faturamento, atingindo um consumo de R$ 4,8 bilhões. O Brasil já é o quarto mercado mundial em consumo de produtos no segmento de cuidados pessoais e cosméticos e com nítida tendência de crescimento para os próximos anos. Todo esse potencial está retratado na reportagem de capa desta edição da Essencial. É nítido que esse público deve ser um nicho de investimento em seu sortimento, vale ressaltar ainda que os itens licenciados garantem margens excelentes. Outro destaque fica por conta do término do verão, que faz com que haja uma demanda maior por produtos que restauram os danos causados pelo sol, mar e piscina aos cabelos. Fique atento e abasteça seus estoques. Boa leitura!